Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘fornecedores’

Por Boris Hermanson

Como saber em sua empresa poderia fazer mais por menos, e ainda assim encantar seus clientes?

Bem, uma forma de se fazer isso é através da cadeia de valor. Mas o que é isso?

Cadeia de Valor:

Podemos dizer que cadeia de valor é o conjunto das atividades realizadas por uma empresa, cuja analise detalhada permite ao empresário verificar os custos de cada uma dessas atividades, bem como estabelecer o que elas agregam em termos de satisfação do cliente final.

Assim, esta analise, ao permitir que o empresário tenha uma idéia de custo/benefício de cada, auxilia no planejamento mais eficiente em relação à aplicação de tempo, esforço e recursos financeiros naquilo que realmente fará a diferença.

Composição da cadeia de valor:

De acordo com o criador desse conceito, o economista Michael Porter, a cadeia de valor é composta por atividades primárias (logística, operações, marketing, serviços), atividades de apoio ou suporte (infra-estrutura da empresa, gestão de recursos humanos, desenvolvimento tecnológico) e pela margem de valor (montante que os compradores estão dispostos a pagar pelo produto que uma empresa oferece) acrescentado em cada uma das atividades e pelas relações estabelecidas entre elas, conforme definição encontrada na Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cadeia_de_valor).

Assim, ao desmembrar cada uma dessas atividades, seus custos, e como estas atividades estão relacionadas entre si e o que elas agregam aos produtos e serviços, é possível ao empresário introduzir melhorias e/ou redução nos custos dos processos da empresa.

Exemplo de aplicação:

Imaginemos uma loja cuja atividade principal é a revenda de artigos feitos de vidro, cuja principal preocupação do seu empresário é a de que sua empresa não apresenta nenhum diferencial em relação aos seus concorrentes, sendo apenas mais uma entre tantas que já existem no mercado.

Para mudar tal situação ele parte para a analise da cadeia de valor de sua empresa. Ao realizar esta analise, ele acaba descobrindo que para agregar valor aos seus produtos e criar um diferencial em relação aos seus concorrentes, a solução mais eficiente em termos de custos será investir na qualificação de seu principal fornecedor, de forma que ele passe a trabalhar o vidro com técnicas que permitam sua personalização.

Assim, ao invés de perder tempo, energia e preciosos recursos financeiros em uma série de tentativas e erros, o empresário citado em nosso exemplo poderá direcionar esses recursos para aquilo que fará realmente a diferença para sua empresa.

Conclusão:

Tendo em visto os ganhos em termos de competitividade que a analise da cadeia de valor pode proporcionar para sua empresa, vale a pena que o empresário invista um pouco de seu tempo no estudo desse método.

Uma dica para iniciar este estudo é partir utilizar a bibliografia indicada no link da Wikipédia acima citado. Esperando que esse investimento se traduza em bons frutos para sua empresa.

Boris Hermanson

Consultor – Sebrae/SP

Anúncios

Read Full Post »

Por Wilson Gunther Kunde

A década de 1980 troxe consigo um novo paradigma de manufatura envolvendo o Just in Time, pequenos lotes de produção, melhorias contínuas e qualidade total. Nos ultimos quinze anos tem havido uma explosão de conhecimento nas atividade relacionadas ao gerenciamento da qualidade envolvendo o papel de clientes e fornecedores. É preciso determinar a efetividade dos processos e procedimentos que melhorem os negócios

Hoje em dia, uma empresa não pode ser competitiva de forma isolada. Ela faz parte de uma cadeia de compradores / fornecedores que tem como objetivo final a satisfação dos consumidores. Estamos numa era de pressão competitiva e a necessidade de melhorar os processo nuca foi tão intensa como agora.

Saber o que se espera dos fornecedores é essencial para a garantia de melhores resultados no seu negócio, facilitando os processos, tranquilizando a força de trabalho e satisfazendo o cliente.

Os fornecedores são elos fundamentais dentro do processo, pois fornecem os insumos necessários para que a empresa atenda com seus produtos ou serviços o cliente ou usuário final. Porém para garantir a qualidade do nosso produto / serviço, o fornecedor deve atender aos nossos requisitos ou especificações.

Portanto para garantir que os insumos fornecidos atendam as nossas necessidades, é importante selecionar e avaliar os fornecedores.

Todo empresário, mesmo que informalmente, está avaliando seus fornecedores. Ele sabe quem atraza a entrega, quem não atende aos requisitos de qualidade e quantidade, quem tem um fornecimento irregular, etc. No entanto é importante que essa informação não fique apenas na cabeça do empresário. Todos os envolvidos na aquisição de materiais e serviços devem saber quais são os fornecedores confiáveis.

Um modo muito simples de registrar essas informações é criar uma planilha de fornecedores de matérias prima e de serviços, adotando critérios para seleção do fornecedor, tais como:

– Capacidade técnica

– Localização

– Regularidade fiscal

– Assistência técnica

Outro ponto é determinar os requisitos para o fornecimento, como:

– Prazo

– Quantidade

– Atendimento às especificações ou ao contrato.

A avaliação é realizada preenchendo-se a planilha, verificando-se o atendimento e comunicando o desempenho.

A relação cliente / fornecedor dever ser desenvolvida sempre, portanto algumas dicas para melhorar essa relação:

– Compartilhe suas necessidades, expectativa, problemas e receios desde o primeiro contato.

– Mostre a ele sua importância no processo da sua empresa.

– Defina em conjunto critérios de qualidade para um bom fornecimento.

-Acompanhe e aja com objetividade dentro do estabelecido pelas duas partes.

-Dê feedback constante sobre o que está percebendo, tanto positivo quanto negativo. Lembre-se que ele é um  fator crítico de sucesso dos seus produtos ou serviços, ou seja, inclua-o com carinho no seu negócio. Tenha uma relação ganha-ganha.

Considere o fornecedor como um parceiro, planejando em conjunto para que possam decidir, diante da sua necessidade, o que fica melhor para os dois lados.

Wilson Gunther Kunde

Consultor – Sebrae/PR

Read Full Post »

Faça pesquisa de mercado. Consulte publicações especializadas sobre o seu ramo de atividade como sites, revistas, jornais e outros periódicos. Se possível, troque informações com seus concorrentes. Procure informações também na associação representativa de sua atividade.

Sites de busca poderão direcioná-lo para outras fontes de pesquisa. Trabalhos como estes servirão para você conhecer melhor os fornecedores e os diferentes produtos que irão abastecer sua empresa.

Read Full Post »