Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘o que está dando dinheiro’

Por Consultores da Orientação Empresarial do Sebrae/SP

Para não fracassar

Em pesquisa de 1999, o SEBRAE-SP constatou que 35% das empresas fracassam no primeiro ano de operação, e 71 % não conseguem chegar a cinco anos de vida.

Em comum, essas empresas apresentaram sinais de que foram deficientes principalmente em duas questões fundamentais: estruturação do negócio, ou planejamento prévio, e administração.

Estruturação do negócio e processo de gestão são aspectos que você realmente precisa se desafiar a conhecer e dominar. Todo esforço que fizer para aprender, tanto com as empresas que alcançaram sucesso como com os casos de fracasso, será o seu mais importante investimento, o que realmente sustentará a viabilidade de seu negócio. Queremos dizer que é necessário conhecer o melhor possível o ramo do negócio que escolheu.

Se já atuou no ramo, como empresário ou como empregado, não pense que sabe tudo. Visite o maior número de empresas, converse com os proprietários e empregados, faça amizade com empresários do ramo, troque idéias, confira as diferentes percepções sobre o mercado, sobre as dificuldades etc.

Se não é do ramo, por um lado é bom porque não tem vícios e sabe que tem de aprender muito, o caminho é pesquisar, interagir com pessoas do meio e questionar até entender o melhor possível como se ganha dinheiro com esse negócio.

O objetivo é este mesmo, aprender como se ganha dinheiro com o negócio que se deseja montar. É normal pensar que fazer amizades ou interagir com empresários do ramo é difícil, pois estes não darão informações sobre as características do negócio para um “futuro concorrente”. Não é verdade, as pessoas gostam de trocar idéias e falar das dificuldades, basta ser franco na conversa, apresentar-se e explicar sua situação.

Para começar, busque empresas de bairros distantes ou até mesmo em cidades vizinhas, pois assim ninguém se sentirá ameaçado.

O objetivo dessa fase de aprendizado e pesquisas é você formar idéias e estar convicto sobre o projeto de sua empresa, de como ela será. Ao contatar outras empresas, busque elementos para responder às seguintes questões:

a)     Como será o processo de venda? Como conseguir clientes na quantidade necessária?

b)     Como será o processo para ocupação do espaço no mercado com clientes,concorrentes, fornecedores?

c)      Como será o processo de produção, se for o caso?

d)     Como será o processo de compras de produtos ou matérias-primas?

e)      Como será sua equipe de funcionários?

f)       Como será seu formato de administração dos negócios, que inclui fixar metas, elaborar planejamento para realizá-las, apurar resultados, corrigir rumo, obter a colaboração da equipe de funcionários, desenvolver capacidade para aproveitar as oportunidades cotidianas?

g)     Você mesmo comandará a empresa no seu dia-a-dia? Quando a empresa estiver funcionando você pretende ter férias regulares? Quem cuidará dela nesse período? Você ficará tranqüilo durante as férias?

h)     Pretende montar outros negócios? Outras empresas?

i)       Como pode ser a organização de sua empresa para que você se dedique também a outros negócios, à família, ter férias?

j)       Esse realmente é um bom negócio?

Em resumo, responder a essas questões permitirá um mínimo de domínio sobre o negócio e ajudará você a ter chances reais de viabilidade. Com pesquisas, estudo e identificação da prática do dia-a-dia, você construirá suas próprias respostas.

Leia mais

Parte 02 -O que é uma oportunidade de negócio?

Parte 03 – O que considerar em um Plano de Negócios 1

Parte 04 – O que considerar em um Plano de Negócios 2

Parte 05 – Pensando a empresa

Parte 06 – Gastos (investimento inicial, custos, depesas)

Parte 07 – Investimento inicial

Parte 08 – Custos de uma empresa

Parte 09 – Sequência de custos

Parte 10 – Como separar o dinheiro da empresa

Parte 11 – Custos fixos

Parte 12 – Estudando e aprendendo para abrir uma empresa

Parte 13 – Como calcular o preço de venda

Parte 14 – Ponto de equilíbrio e margem de contribuição

Parte 15 – Ponto de equilíbrio

Parte 16 – Como atrair clientes

Parte 17 – Retorno sobre o investimento

Parte 18 – Dinheiro da família X Dinheiro da empresa



Read Full Post »

Para ser competitivo basta detectar oportunidades?

 

Não…

 

competitividade1É preciso também ter competência para aproveitar a oportunidade detectada de uma forma que a empresa tenha um excelente retorno sobre o investimento realizado.

 

Em outras palavras, é preciso ser profissional para aproveitar ao máximo a oportunidade e, neste sentido, algumas recomendações são importantes:

 

– Planejamento:

 

Planejar a atuação sobre uma oportunidade detectada pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso. De uma forma bastante simples, planejar significa responder o que será feito, como será feito, quanto irá custar, quem irá fazer, porque será feito e quando será feito. Pode até ser que neste momento seja detectado algum item que inviabilize a ação da empresa em relação ao aproveitamento da oportunidade.

 

– Acompanhamento e controle:

 

O registro de informações permite a comparação do planejamento com o que realmente aconteceu e é muito útil para que novas decisões sejam tomadas em relação à continuidade de atuação da empresa naquela oportunidade específica. Lembre-se que toda oportunidade tem um tempo de duração.

 

– Coerência:

 

A maneira como a empresa organiza seus processos para aproveitar uma oportunidade deve ser coerente com as condições que caracterizam a própria oportunidade. Por exemplo: uma loja de roupas que esteja se reposicionando para atuar no segmento jovem, deverá adaptar seus processos, instalações, forma de atendimento etc., para estar adequada ao novo público. Se isso não for feito, pode até existir a oportunidade, mas com certeza seu aproveitamento pleno não ocorrerá. Esta questão pode parecer simples, mas muitos negócios incorrem neste erro e fecham suas portas. Claro, se não houver coerência entre a oportunidade e o negócio, é muito provável que faltem clientes.

 

Permanecer no mercado é estar atento às oportunidades e agir corretamente para aproveitá-las.

 

Read Full Post »

invencao1 Nós, do SEBRAE não temos como indicar quais negócios podem ser iniciados, contudo orientamos que isto seja sempre feito com o enfoque das”oportunidades percebidas”, ou seja, que o tipo de negócio pensado para uma determinada cidade sinalize boas perspectivas de vendas, o que na prática significa estar satisfazendo necessidades de clientes.

Para cada negócio pensado, procure e encontre respostas para estas questões, que se respondidas sinalizam grandes chances de sucesso para o investimento, são elas:

– O que será feito em sua empresa, seja ela qual for para atrair clientes, na prática, isso é fazer com que eles venham fazer compras em sua empresa.

– Qual o preço de venda que compense e que torne sua empresa, seja ela qual for, mais competitiva.

– Entenda mais competitividade em preços de venda quando o valor do preço encontrado em cálculos em sua empresa for inferior a preço praticado pelos seus concorrentes diretos.

– Qual a quantidade ideal de vendas para que consiga atingir o lucro planejado para a rentabilização do capital investido, na prática, isso é a itenção de retorno do capital investido.

(mais…)

Read Full Post »

Por consultores da Orientação Empresarial do Sebrae/SP

marketing1

Caros empreendedores,

Nos pontos de atendimento do SEBRAE, somos sempre questionados com as mesmas perguntas por todo o Brasil?

O que está dando dinheiro?

– Como sei que a minha idéia vai me dar muito dinheiro?

Pensando nisso, resolvemos começar a discutir sobre Oportunidades de Negócio e você está convidado a colaborar comentando como você entende ou percebe estas oportunidades aí na cidade/região. Combinado?

Oportunidades – Parte 1

A abertura de empresas tem uma grande importância na sociedade em que vivemos, pois gera diversos benefícios como empregos e riquezas para o país.

Por outro lado, sempre que uma empresa fecha, também ocorrem impactos na sociedade. As pessoas ficam sem seus empregos, o governo deixa de arrecadar tributos e todo o investimento realizado no negócio é perdido.

Mas por que uma empresa fecha as suas portas?

(mais…)

Read Full Post »

Por Antonio Carlos de Matos

Você que está pensando em montar um negócio próprio, já parou para pensar se identificou uma oportunidade de negócio ou tem apenas mais uma idéia na cabeça? Daquelas idéias que imediatamente viram empresas, muitas das quais acabam já no primeiro ano de vida, situação de 31% dos que abriram um negócio próprio nos últimos anos.

 

Qual a diferença? De maneira bem simples e direta, se tem alguém querendo comprar os serviços ou produtos da empresa que pensa criar, então existe uma oportunidade de negócio. Afinal de contas, podemos resumir uma atividade empresarial numa ação final de vender e lucrar. Se for comprovada a possibilidade de vender os serviços ou produtos resultantes e de lucrar, então você encontrou uma oportunidade de negócio. Note bem, vender e lucrar. Não basta somente vender. O que realmente é determinante de uma boa oportunidade é a quantidade de lucro. Não serve qualquer lucro. Mas somente um montante de lucro que compense toda a empreitada. Isto é, supere em ganhos o que poderia ser obtido em outros negócios e investimentos. Em outras palavras:

 

  •  Para começar, você precisa confirmar a existência de interessados em comprar os serviços ou produtos que sua empresa vai oferecer;
  •  Por um preço que compense todos os seus custos e dê lucro;
  •  Em quantidade que acumule no final de um período de tempo um montante de lucro que compense a empreitada;
  •  E que estas condições durem por tempo que compense a montagem do negócio. Isto é, dê o retorno que você deseja;
  •  E ainda, que você realmente esteja disposto a enfrentar e comandar o dia-a-dia desta operação. Você e sua família deverão adaptar o estilo de vida às condições que o negócio necessitar, caso você fique no comando da operação da empresa.

 

Simples? Nem tanto. É provável que neste ano mais de 40.000 empresas que foram abertas no ano passado sejam fechadas. Fracassarão. A principal razão é falta de planejamento inicial. Mais ou menos assim: tiveram a idéia e abriram. Não confirmaram o volume de dinheiro que seria necessário para montar o negócio, chamado de investimento inicial, nem quanto de recursos seria necessário para movimentar a empresa no dia-a-dia, o tal do “capital de giro“.

  •  Quais seriam os custos?
  •  Que preço deveria praticar?
  •  Qual volume precisaria ser vendido?
  •  Quem é o cliente e onde está?
  •  Que lucro poderia ser obtido?

 

Pois é. Se você está com uma idéia na cabeça, cuidado. Antes de montar a empresa planeje os passos iniciais. Ou então responda a esta pergunta: aberta a empresa, o que você fará para que quem já compra no mercado o que sua empresa pretende vender, compre também de sua empresa?

 

 

Antonio Carlos de Matos

Consultor Orientação Empresarial

SEBRAE/SP

Read Full Post »

« Newer Posts