Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘vendas’

Por Ronaldo Hofmeister

Este conceito surgiu para identificar o consumidor que estava em transito ou em viagens e precisava consumir desde o alimento até uma noite de sono passando por entretenimento enquanto espera seu próximo trajeto da viagem. Com o tempo este termo foi mudando e hoje é utilizado para descrever um novo consumidor.

O Transumer é um consumidor que busca uma nova experiência de consumo ou de produtos diferentes os quais são adquiridos por poucas pessoas. Um bom exemplo é viajar para onde ninguém da sua rede de relacionamentos foi. Produtos de luxo deixam de ser um sinal de status pois não querem carregar o peso de bens na sua vida preferem colecionar sensações.

Para atender este tipo de consumidor será necessário criar uma surpresa ou proporcionar momentos para ele curtir a vida. Este consumidor quer mais qualidade de vida e busca o bem estar acima de bens e produtos. Sua empresa precisará inovar constantemente. Nem todos os consumidores seguirão este padrão de consumo, mas hoje já representam uma parcela com excelente poder aquisitivo e disposto a gastar muito bem.

Com a ascensão da classe C que passou a consumir produtos de marcas, as classes B e A passam a desejar um novo tipo de consumo que as diferenciam da classe C.

E você já está pensando em atender os Transumers?

Ronaldo Hofmeister

Consultor – Sebrae/PR

Read Full Post »

Por Ronaldo Hofmeister

Comunicação de massa tradicional como TV, rádio, jornal e revistas tendem a atingir um público sem muita segmentação. Para fugir da comunicação de massas muitas empresas partiram para promoção o que tem infestado o mercado de ações deixando de impactar o cliente pelo excesso de atividades.

É muito importante impactar o público certo, na hora certa e no tempo certo. Quanto mais personalizado melhor, portanto tanto a comunicação como a promoção devem estar atentas a interação com o cliente permitindo um vai e vem de idéias. A internet tem permitido esta interatividade portanto, a comunicação ou a promoção deve ser reinventada para atender este novo consumidor.

A comunicação e a promoção são excelentes ferramentas desde que sejam utilizadas de forma adequada e que o cliente permita esta interação.

Ronaldo Hofmeister

Consultor- SEBRAE/PR

Read Full Post »

Por Ronaldo Hofmeister

Estamos abordando a utilização dos 4 P’s e dos 4 C’s. No post passado falamos da relação PRODUTO  e CLIENTE. Neste post vamos comparar o PONTO e a CONVENIÊNCIA.

Quando escuto o termo conveniência logo vem a minha cabeça as lojas que ficam em postos de gasolina. Você já se perguntou por que estas lojas se chamam Lojas de Conveniência? É provável que alguns tenham respondido: por que é conveniente comprar nestas lojas. Mas por que é conveniente? Por que é fácil estacionar, estão abertas 24 horas, tem os produtos que precisamos quando mais nada está aberto, é fácil comprar, estão bem localizadas, tem mais segurança, etc…

A conveniência facilita o acesso do cliente a um produto ou serviço. A internet é um grande fator de estímulo a conveniência pois de sua casa o cliente pode comprar e consumir sem precisar sair para a rua. Portanto a conveniência não acontece apenas em uma loja física ela pode estar em meios digitais e na internet. Como cada vez mais consumidores estão optando em comprar na internet ou em casa através de catálogos a conveniência tem sido muito valorizada.

O conceito de ponto, por outro lado, leva em consideração a localização, facilidade de acesso e visibilidade do local. Como podemos ver o mais importante é facilitar o acesso do cliente ao produto ou serviço seja com um ponto comercial ou com conveniência.

Ronaldo Hofmeister

Consultor – Sebrae/PR

Read Full Post »

Por Ronaldo Hofmeister

O marketing e o mix de marketing (produto, preço, ponto e promoção) muitas vezes se confundem. Muitas empresas baseiam seu marketing nos 4P´s mas a alguns anos atrás um novo modelo foi sugerido para substituir os P’s pelos C’s. A ideia é que não deveríamos pensar no PRODUTO mas nas necessidades do CLIENTE, ou que o PREÇO não é mais importante que o CUSTO, ou que o PONTO comercial que não for CONVENIENTE para o cliente não adianta, ou ainda que a COMUNICAÇÃO é mais abrangente que simplesmente a PROMOÇÃO. Após esta série de 4 post poderá decidir entre os 4 P’s e os 4 C’s. Nesta postagem vamos analisar a relação Produto e Cliente.

Todo produto precisa de serviço e todo serviço precisa de um produto, nos dias de hoje não temos mais como fugir disso. O mix de marketing amplia a visão e contempla entre outras coisas análises como o ciclo de vida do produto, construção de marca e etapas para o lançamento do produto.

Por outro lado de nada adianta um produto ou serviço que não atenda as necessidades do cliente. As necessidades do cliente devem ser a fonte inicial de qualquer projeto de desenvolvimento de um produto.

O problema é que nem sempre o cliente sabe dizer o que ele deseja. Vamos analisar um produto que todos conhecem: o refrigerante Coca-Cola. Se você pudesse mudar algo na Coca-Cola o que sugeriria? Sei que você deve ter demorado um pouco para identificar algo mas esta dificuldade é natural para todos os clientes. A empresa espera que o cliente tenha uma resposta aprofundada com os mínimos detalhes, mas é obrigação da empresa interpretar os desejos do cliente e transformar isso em soluções.

Portanto produto e cliente estão intimamente ligados e é difícil separar. E para você o que é mais importante levar em consideração o Produto ou o Cliente? Responda comentando este post.

Ronaldo Hofmeister

Consultor – Sebra/PR

Read Full Post »

Por Ronaldo Hofmeister

Observando os classificados dos jornais, mais de 40% das vagas são para vendedores ou para atendimento ao consumidor. Com o mercado aquecido está faltando gente qualificada para trabalhar na área comercial.

Quando falta mão de obra especializada as empresas não têm outra opção além de treinar e capacitar profissionais interessados em seguir uma nova carreira. Como está faltando gente para praticamente todas as áreas sobram poucas pessoas desejando seguir a carreira na área de vendas. Com os últimos indicadores de empregabilidade do Brasil mostram que menos de 7% da população em idade ativa está procurando emprego isso significa que o país está vivendo um momento de pleno emprego. Muito diferente da Europa que em alguns países enfrentam uma taxa de desemprego superior a 20%.

A profissão de vendedor nunca foi muito glamorosa, mas isto está mudando, porem ainda inibe a escolha desta carreira. Muitos se intitulam consultores comerciais, gerentes de conta e até relações com o mercado evitando colocar em seu cartão de visita o termo “vendedor”. A imagem negativa se deve a fatores que aconteceram há muito tempo a trás, mais precisamente com a quebra da bolsa de valores de Nova York em 1930 quando a economia mundial passou por grandes dificuldades. Neste período a oferta de produtos foi maior que a demanda e as empresas precisavam esvaziar as prateleiras. Com isso começaram a “empurrar” os produtos para os clientes, obviamente esta estratégia não era a melhor para o caso de ter que vender novamente para o mesmo consumidor. Com o tempo a satisfação do consumidor passou a ser fundamental.

Com esta imagem negativa somada a falta de profissionais qualificados, o pleno emprego e o aumento da concorrência está cada vez mais difícil encontrar um vendedor. Isso significa uma excelente oportunidade para investir em uma profissão com excelente remuneração e que tem mais gente procurando por profissionais do que existe oferta no mercado. Como toda profissão em ascensão ela exigem formação, vários cursos de graduação e até pós-graduação já existem no mercado.

Comente este post e relate suas dificuldades com esta profissão ou profissional.

Ronaldo Hofmeister

Consultor – Sebrae/PR

Read Full Post »

Older Posts »